A casa nas alturas

December 4, 2013

“Havia mudado há pouco tempo para uma casa muito insólita. Ela ficava no meio de um campo aberto em alguma cidade, no topo de uma haste envolta por uma trepadeira que desabrochava suas flores junto ao seu telhado. Não fazia ideia de como a casa conseguia se sustentar sobre algo tão alto e frágil quanto uma haste de ferro ou ainda como seus móveis foram levados para lá, era tudo muito mágico. Por dentro a casa era impressionante, misturava uma rusticidade com uma elegância no ponto certo. Chão e paredes de madeira cujo cheiro era delicioso. Móveis brancos, simples e modernos. Todos os cômodos eram grandes e lindamente decorados, porém de forma modesta. Tudo nela era perfeito e eu estava morando nela. Recebia amigos que não tinham medo de subir por uma escadinha aparentemente tão perigosa. Lá em cima esquecia-se dos tantos metros de altura. De repente caiu sobre mim a percepção de que eu havia mudado pra ela sem pensar muito na decisão e que ela poderia ser realmente perigosa. E quando houvesse uma tempestade? Foi só pensar na possibilidade que, no horizonte, surgia uma nuvem gigantesca, preta, densa e caótica. O medo tomou conta do meu corpo que tremeu dos pés à cabeça, já prevendo que a casa faria o mesmo quando a nuvem a atingisse. O céu escureceu de todos os lados da casa, era impossível ver qualquer coisa através janelas. A casa havia sido tomada pela tempestade. Estranhamente, a casa era tão forte e resistente que nem ao menos rangeu. O chão não balançou, os vidros não trincaram. Nada aconteceu. A tempestade passou, o céu azul apareceu e percebi que o medo era infundado. Em seguida abri os olhos e acordei.casa-nas-alturas

 

2 Responses to “A casa nas alturas”


  1. Mas que sonho louco! E a ilustração dessa casa me recordou a história de João e o Pé de Feijão. Deve ter algum significado, já pesquisou? Provavelmente superação de algum momento difícil.
    Abraços.

    • krisbarz Says:

      Nossa como é bom ver um comentário que não é spam por aqui!rsrs
      Eu sempre pesquiso na minha própria mente os significados dos meus sonhos. Estou mudando de cidade meio que num surto-nômade-sem-rumo e ainda não sei pra onde vou. Vendi todos os meus móveis e em janeiro decido. Apesar de estar bem confiante na minha decisão bate aquela insegurança natural, creio que o sonho representa isso. Por coincidência, uma amiga minha falou que no dia em que eu sonhei isso (eu sempre desenho meus sonhos legais no mesmo dia em que os tenho) era dia de Santa Bárbara, santa das tempestades e dos trovões. Eu não acredito em santos e não sou católico, mas achei curiosa essa coincidência. Pesquisei sobre essa santa e descobri que ela fora trancada numa torre bem alta, como a casa do meu sonho. O_O Gostei muito do seu blog, assim que tiver um tempinho lerei sua crônicas, mas já vou te seguir! Bjos!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

A Liga Gay

O site LGBT mais acessado do Nordeste

sigoescrevendo

Um manifesto de palavras sob a regência de cada momento.

The Art of Viviane Fujita

Illustration • Chocolate • Shoes

Kris Barz Daily

random creations, sketches from a Brazilian artist.

Paulicéia e Desvairada

porque a cidade também é uma mulher

Blog da Itiban

alimente-se

DWRBTZK

"USE YOUR LEGS" W.Shakespeare. ------> dwdwski@gmail.com

Repensado

coletivo de ideias em reconstrução constante

Recordar, Repetir e Elaborar

O de sempre, só que de novo.

sydnikruger.wordpress.com/

Portfolio of Sydni Kruger

Jennifer Edwards

Knitting a Life...Drawcumenting the Days

Mundo de Oz

"Vim pelo caminho díficil, a linha que nunca termina, a linha bate na pedra, a palavra quebra uma esquina, mínima linha vazia, a linha, uma vida inteira, palavra, palavra minha" (Leminski)

AnsiaMente

Sobre irritações e inquietudes